Gramática

Gramática é a sistematização dos fatos contemperâneos de uma língua.

Uso dos porquês

POR QUE ou PORQUE

Escreve-se "por que" em duas situações apenas: 1 - Quando se pode trocar "que" por "qual". Exemplo: Quero saber o motivo POR QUE sumiste lá de casa. (Quero saber o motivo pelo qual sumiste lá de casa.) 2 - Quando for possível o acréscimo de "razão" logo após. Exemplos: Eis POR QUE (razão) não gosto de bacalhau. Eu só perguntei POR QUE (razão) estavas triste. POR QUE (razão) trabalhas tanto, amigo Eron? Em todas as frases diferentes das que aparecem nesta coluna, usa-se a palavra "PORQUE" sem o acento e num único vocábulo. Exemplos: As pessoas leem esta coluna, PORQUE gostam do assunto. PORQUE já não gostava do marido, Selminha sumiu de casa.

POR QUÊ ou PORQUÊ

Assim como a palavra QUÊ, PORQUÊ vai escrita com este acento circunflexo, sempre que houver um artigo ou pronome antes dela. Exemplos: Desconheço o PORQUÊ deste abandono. O QUÊ ficou mal colocado na frase. Ninguém ficou sabendo o PORQUÊ do teu sumiço. Este QUÊ desempenha outra função. Este político tem um QUÊ de pessoa falsa. Teu PORQUÊ não nos convenceu. Se o "quê" for a última palavra da frase, ele também receberá o acento circunflexo, antecedido ou não do "por". Exemplos: Tu nos abandonaste sem dizer POR QUÊ. Ela escreve sem usar QUÊ. Ela vivia lá em casa, e ninguém entendia POR QUÊ. Por que vais embora tão cedo? POR QUÊ?


USO DOS PORQUÊS

Ensino com Tecnologia - Professor Osvaldo Andrade
ocsanmail@gmail.com