Gramática

Gramática é a sistematização dos fatos contemporâneos de uma língua.

Ortografia

A Ortografia é a parte da gramática que trata da escrita correta das palavras. A palavra ortografia é formada por dois elementos gregos: rothós (correta) + grafia (escrita). A ortografia tem por função definir normas segundo as quais as palavras devem ser escritas para que sejam consideradas corretas.

Grafia

Desde épocas muito remotas, o homem preocupou-se em representar visualmente os sons da fala. Para isso, utilizava-se de desenhos e outros sinais. Com o tempo, surgiu a escrita.

A escrita, uma das maiores invenções da humanidade, é a representação da realidade linguística (fala) por meio de sinais perceptíveis à vista.

A escrita, na maior parte das línguas, divide as palavras em fonemas (sons da fala) e estabelece sinais capazes de representar cada um desses fonemas. Esses sinais são as letras (representação gráfica dos fonemas). Para evitar problemas de transmissão na comunicação escrita é que se estuda a Ortografia.

Assim sendo, é falso pensar (ou dizer) que se pronuncia desta ou de outra maneira porque se escreve assim ou assado. Dos vários tipos de escrita o mais perfeito é o alfabético.

Seria ideal uma grafia que reproduzisse rigorosamente a pronúncia; no entanto, desse ideal se distanciam todos os sistemas, em virtude de fatores diversos, entre os quais a força da tradição, as oscilações da pronúncia, no espaço e no tempo, ou a desproporção entre o número de letras e de fonemas.

Temos hoje no alfabeto do Brasil 26 letras representativas dos sons de nossa fala e são aproximadamente 33 fonemas no sistema fonético basileiro.

A GRAFIA é a parte da Gramática que se preocupa com a escritura das palavras através do emprego das letras - a Ortografia; as sílabas que compõem as palavras - sua correta separação; o emprego de hífen nas palavras compostas e na separação silábica; a acentuação das palavras irregulares tonicamente - que necessitam marcar a tonicidade; o emprego sintático da crase - fusão de sons iguais; a pontuação correta na estrutura sintática e a abreviatura de palavras.

São essas peculiaridades que se encarrega esta parte da Gramática chamada de GRAFIA.

Seria ideal uma grafia que reproduzisse rigorosamente a pronúncia; no entanto, desse ideal se distanciam todos os sistemas, em virtude de fatores diversos, entre os quais a força da tradição, as oscilações da pronúncia, no espaço e no tempo, ou a desproporção entre o número de letras e de fonemas (letra - representação gráfica do fonema; são 26 letras no alfabeto português do Brasil. Fonema - som da fala; são aproximadamente 33 fonemas no sistema fonético brasileiro).

Para reproduzir, na escrita, os sons da fala, dispomos de uma série de sinais gráficos denominados letras. O conjunto de letras recebe o nome de alfabeto. Nosso alfabeto consiste fundamentalmente de 26 letras (a, b, c, d, e, f, g, h, i, j, k, l, m, n, o, p, q, r, s, t, u, v, w, x, y, z).

Tudo isto compõe a ortografia: além das letras e sua disposição correta, os prefixos e sufixos acrescentando informações de significação às palavras, as sílabas fazendo as partições fonéticas, o hífen separando elementos nas palavras compostas. Tudo auxilia nesse ampla e rico vocabulário da Língua Portuguesa.

Formas variantes:

São palavras que podem ser grafadas de duas maneiras, ambas aceitas pela norma culta. Ex.: cota ou quota, catorze ou quatorze, cociente ou quociente, contacto ou contato.

Sigla

Como e quando usar:
1.Todas as letras da sigla deverão ser maiúsculas quando forem usadas apenas as iniciais das palavras que compõem o nome: PUC (Pontifícia Universidade Católica). São as chamadas siglas próprias ou puras.
2.Quando se usarem também outras letras que não as iniciais das palavras que formam o nome, prefere-se usar apenas a iniciai maiúscula: Bacen (Banco Central); Copesul (Companhia Petroquímica do Sul). São as chamadas siglas impróprias ou impuras.
3.Quando se trata de siglas consagradas podem ser usadas diretamente, sem escrever o nome das entidades por extenso. Caso contrário, na primeira vez que aparecem no texto devem ser identificadas, entre parênteses ou separadas por travessão. Em trabalhos mais extensos, pode-se também apresentar lista de siglas no início ou no final.

Ensino com Tecnologia - Professor Osvaldo Andrade
ocsanmail@gmail.com